Campo Grande, MS
terça-feira, 16 de agosto, 2022

Educação

Mídia CG > Educação > ALUNOS DA REME IRÃO DESCOBRIR LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA ATRAVÉS DO EDUCOMUNICAÇÃO

ALUNOS DA REME IRÃO DESCOBRIR LINGUAGEM CINEMATOGRÁFICA ATRAVÉS DO EDUCOMUNICAÇÃO

Alunos de pelo menos 61 unidades da Reme (Rede Municipal de Ensino) irão descobrir o universo do cinema através do projeto Diálogos em Educomunicação, desenvolvido por meio da Divisão de Tecnologia  da Semed (Secretaria Municipal de Educação) e que este ano vai contar com a parceria da Fundação de Cultura do Estado, através da disponibilização de técnicos para auxiliar os profissionais da Reme no desenvolvimento dos projetos.

20190218_084156_003

As novidades da edição de 2019 foram anunciadas nesta segunda-feira (18), durante evento no MIS (Museu da Imagem e do Som) e contou com a presença da secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, da diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Mara Caseiro, além de técnicos, professores e coordenadores de escolas da Reme.

Logo após o lançamento da edição 2019 do projeto, os profissionais das escolas que irão desenvolver os trabalhos participaram de uma capacitação, com técnicos da Fundação de Cultura, sobre a história e a linguagem do cinema. Para a secretária Elza Fernandes, a parceria firmada este ano é fundamental para ampliar o conhecimento dos alunos. “É importante levar para eles um trabalho diferenciado, sair da sala de aula. Além disso, é muito gratificante ver um projeto que sonhado há alguns anos, se concretizar agora, nesta gestão’, disse.

A diretora-presidente da Fundação de Cultura, Mara Caseiro, ressaltou que o projeto é um meio de difundir a cultura sul-mato-grossense. “Queremos estabelecer, a cada dia, bons projetos para valorizar nossa identidade, educação e cultura, para que caminhem juntas sempre, por isso a importância dessa parceria. Espero que vocês façam o melhor em sala de aula”, destacou.

_DSC0504

Na opinião do chefe da Divisão de Tecnologia, Guilherme Mathias Ferrari, o projeto também é uma oportunidade de crescimento profissional. “Lembro quando trabalhei em sala de aula com essa linguagem e pude ver o quanto aprendi com meus alunos, com a troca de experiências e a oportunidade de mostrar a eles uma linguagem nova. É enriquecedor para ambos”, pontuou.

Canal de comunicação

O Educomunicação tem por objetivo oportunizar um canal de comunicação entre os alunos e a comunidade escolar, desenvolvendo projetos de rádios escolares e TV. O trabalho busca valorizar e consumir a cultura sul-mato-grossense em todas as suas formas de expressão, bem como favorecer a relação social entre os estudantes e o meio acadêmico, aprimorando o  manuseio das mídias, a qualidade da comunicação e da aprendizagem.

Em 2018, das 95 escolas da rede, 46 consolidaram a prática Educomunicativa com a rádio e TV escolar, envolvendo 52 professores, coordenadores de Tecnologias e Inovação, professores parceiros e pelo menos 380 alunos.  Ao todo, os projetos Educomunicativos envolveram mais de 10 mil alunos, em audiências desenvolvidas nas rádios escolares.

Agora em 2019, além das escolas trabalharem com rádio e TV, a parceria com a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul permitirá que os estudantes se expressem também, através da linguagem cinematográfica. Segundo Guilherme Ferrari, a ideia é realizar vários encontros junto a Fundação de Cultura. “Sabemos que além do encantamento, a área de cinema é transformadora e temos certeza que essa parceria vem ao encontro das ideias  já propostas e será  responsável também pela inserção de uma programação conduzida por excelentes profissionais da área em atividades  didáticas aos professores, estimulando a pesquisa, a cultura local e  produções  dos alunos”, frisou.

Ganho pedagógico

A coordenadora de Tecnologia e Inovação da escola “Dr. Eduardo Olímpio Machado” Cristiane Lahdo, contou que trabalha há dois anos com rádio na escola e já colheu resultados significativos com o projeto, realizado no contraturno. Ela contou que três alunos de sua turma apresentavam dificuldades na linguagem oral e faziam acompanhamento com fonoaudiólogos, mas após participarem do projeto, apresentaram um melhor desenvolvimento na fala. “Eles ficaram mais desinibidos e um deles até não precisou mais do acompanhamento do profissional. Também a autoestima deles teve um grande ganho”, explicou.

Este ano os beneficiados serão os alunos do 5º ano e os do ano. Para a coordenadora, o Educomunicação também destacou a importância das mídias digitais como auxiliar no processo educativo. “É bom porque pudemos tirar a impressão negativa do celular e mostrar que ele é um importante aliado ao projeto, já que possuí recursos que são ótimas ferramentas no processo de aprendizagem”, disse.