Campo Grande, MS
quinta-feira, 26 de novembro, 2020

Educação

Mídia CG > Educação > Alunos do Projeto de Capoeira da Prefeitura passam por avaliação e troca de cordão neste sábado

Alunos do Projeto de Capoeira da Prefeitura passam por avaliação e troca de cordão neste sábado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Parque Sóter recebe 150 capoeiristas neste sábado em evento de Troca de Cordão

No próximo sábado (7) a Fundação Municipal de Esportes (Funesp) realiza a 3º Ginga de Capoeira no Parque Ecológico do Sóter a partir das 16h30. O evento vai reunir mais de 150 pessoas com cerca de 86 participantes do Projeto Lazer e Cidadania, além de capoeiristas de diversos Grupos da Capital para avaliação e troca de cordão.

O professor Marcio da Silva Pinto, que orienta crianças e adultos nas oficinas, explica como é feito o exame.  “Por meio de uma avaliação de desenvolvimento, os capoeiristas recebem uma graduação de corda que vai de 1 a 14, depende do aperfeiçoamento deles nas aulas e rodas de capoeira que são realizados no Parque uma mês por vez”, disse.

Após se aposentar o participante da modalidade, Amir Escobar Ifran, 49 anos, conta que alcançou o equilíbrio físico e mental com a Capoeira. “Comecei a capoeira o ano passado. Eu nuca havia feito a atividade, estou tendo uma excelente evolução nos movimentos e equilíbrio em minha vida, estou com mais estímulo para viver a terceira idade com mais saúde”, explicou Amir que neste sábado busca sua 3 graduação.

Sobre o Projeto

O projeto atende crianças, adolescentes e adultos com idade entre 4 e 50 anos, as aulas de capoeira são gratuitas, e os interessados podem se inscrever na administração do Sóter e também  nos horários das aulas que acontecem quarta-feira e sexta-feira das 7h às 8h e das 17h30 às 19h30. Além da Capoeira outras 10 oficinas são oferecidas no Parque.

Capoeira é uma arte marcial brasileira de origem africana e está presente em todos os estados do Brasil e em cinco continentes é o esporte que mais divulga a língua portuguesa, já que as músicas são cantadas somente em português e não no dialeto de cada país. A graduação de corda é feita a cada 6 meses pelo sistema de avaliação, atende também pessoas com deficiência.