Campo Grande, MS
domingo, 29 de novembro, 2020

Saúde

Mídia CG > Saúde > AVANÇOS NA SAÚDE DE CAMPO GRANDE SÃO ADOTADOS COMO EXEMPLO POR ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

AVANÇOS NA SAÚDE DE CAMPO GRANDE SÃO ADOTADOS COMO EXEMPLO POR ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Técnicos da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), braço da Organização Mundial de Saúde (OMS), que estão em Campo Grande realizando uma visita técnica, estiveram reunidos nesta quinta-feira (08) com o prefeito Marquinhos Trad para apresentar as percepções quanto à funcionalidade das práticas consideradas inovadoras adotas pela gestão. Na avaliação dos técnicos, a mudança de modelo,  priorizando o investimento, qualificação e fortalecimento da atenção primária, devem ser reconhecido como exemplo a ser adotado por outros municípios.

O consultor técnico da OPAS/OMS, Antônio Ribas, explica que os avanços obtidos, em especiação na atenção primária de Campo IMG_3285Grande nos últimos dois anos, chamou a atenção da organização, credenciando assim o Município a integrar o Laboratório de Inovação em APS-Forte, juntamente com as cidades de Porto Alegre, Teresina e Brasília (DF).

“Campo Grande nos chama a atenção porque apresentou experiências concretas e reais de fortalecimento da atenção primária. E desta forma, observando todos estes avanços, o município se torna objeto de estudo. A partir das boas práticas inseridas aqui é possível propagar tais experiências”, diz.

A metodologia de trabalho, implementada a partir do funcionamento da primeira Clínica da Família, no Bairro Nova Lima, também chama a atenção da organização.

“A cidade tem vários elementos de inovação. Nós estamos fazendo uma primeira visita exploratória para conhecer um pouco mais. Estivemos em outros municípios. O que destaca bastante para gente é ter um modelo de Clínica de Família, uma qualificação que não é só em termos de estrutura física e utilização de novas tecnologias, mas sobretudo o investimento na formação do profissional. Esse modelo que utiliza o método de certificação para que os próprios profissionais possam buscar e serem estimuladas a trabalhar melhor pela população é uma coisa que chama bastante a atenção”, disse.

Conforme o consultor, para que o sistema de saúde seja eficiente e que haja um bom cuidado com é necessário que a atenção primária esteja fortalecida.

“Nós identificados que Campo Grande tem todas as virtudes e qualidades para ser exemplo de uma saúde primária de qualidade, que vai muito além somente das ações de prevenção. Para se ter um cuidado completo é preciso fazer mais investimento para qualificar a atenção primária de modo que faça que ela consiga dar conta de até 90% das necessidades de saúde da população, diminuindo assim a quantidade de pacientes encaminhados para os hospitais e unidades de urgência e emergência”, reforça.

Desta forma as pessoas deixariam de ser atendidas em hospitais e unidades de urgência para serem atendidas com qualidade na atenção primária.

Na avaliação do prefeito Marquinhos Trad a escolha de Campo Grande como integrante do Laboratório de Inovação da OPAS e a IMG_3315visita dos técnicos para conhecer as experiência implementadas no município é um reconhecimento do trabalho de reestruturação que vem sendo feito pela gestão, com o objetivo de melhorar o atendimento prestado à população.

“A partir do momento em que uma organização internacional como a OPAS e o próprio Ministério da Saúde voltam os olhos para cá e vêm buscar exemplos,  tenho certeza que estamos no caminhos certo e, consequentemente, nossa cidade se destaca. Por isso estamos felizes em recebê-los e vamos”, disse.

Segundo o prefeito, a estratégia de fortalecimento da atenção básica continuará sendo priorizada com a inauguração de novas clínicas da família.

“É uma mudança de comportamento. Como eu disse é um planejamento de médio a longo prazo. Antigamente as unidades eram construídas e se tinha os servidores, mas não tinha a resolutividade. Nós estamos fazendo uma política de sustentabilidade fortalecendo a atenção primária. Hoje o paciente que vai à Clínica da Família não vai mais a uma UPA porque são bem atendidas lá por profissionais que assimilaram a importância deste trabalho. Esse é um modelo que vem dando certo e até 2020 as sete regiões urbanas da nossa cidade deve ter uma Clínica da Família em funcionamento”, enfatiza.

O secretário de Saúde Marcelo Vilela lembra que houve um avanço na cobertura de Estratégia de Saúde da Família (ESF) passando IMG_3321de 30% para 60%.

“Em menos de dois anos nós conseguimos praticamente dobrar a cobertura da atenção básica, através de um planejamento de priorizando o que preconiza o Ministério da Saúde.  A expectativa é de que até 2020 a gente atinja pelo menos 70% de cobertura”, frizou.

Para a coordenadora da mesa diretora da Conselho Municipal de Saúde, Maria Auxiliadora Cordonez Vilhalba,  Campo Grande ter sido escolhida para integrar o projeto da OPAS pode ser considerado uma vitória.

“Nós enquanto controle social sempre lutamos para que houve um melhor reconhecimento na ponta. E estamos vendo Campo Grande junto com outras três capitais integrar esse projeto é uma satisfação, porque está havendo o reconhecimento com o trabalho que vem sendo executado”, finaliza.