Campo Grande, MS
terça-feira, 24 de novembro, 2020

Educação

Mídia CG > Educação > COM FOCO NA VALORIZAÇÃO DA VIDA, AÇÕES EM ESCOLA DA REME FORTALECEM LAÇOS ENTRE PAIS E FILHOS

COM FOCO NA VALORIZAÇÃO DA VIDA, AÇÕES EM ESCOLA DA REME FORTALECEM LAÇOS ENTRE PAIS E FILHOS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Em menos um mês, o estudante do 9º ano da escola Isauro Bento, Guilherme Gonçalves, 15, evitava novas amizades devido a timidez e preferia o silêncio a expressar suas opiniões. Hoje, ele se considera um adolescente enturmado e já se interessa por atividades físicas, o que, até o início do mês, era motivo de constrangimento.

eec82485-d2ad-4a38-829f-bd2dfc2c9807Essa mudança começou a ocorrer após as ações realizadas na escola pela prefeitura de Campo Grande, através da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e que têm como foco a valorização da vida. Através de atividades lúdicas, de auto conhecimento e palestras, uma equipe de cinco técnicos da secretaria auxiliaram  alunos do 6º ao 9º anos e pais a quebrarem a barreira da timidez e a buscarem, através do diálogo, as soluções para as dificuldades.

“Não gostava de sair de casa e me sentia triste devido a dificuldade de fazer amigos. Tinha medo de sofrer bullying. As primeiras reuniões foram difíceis, ficava quieto o tempo todo, mas agora já estou mais tranquilo”, ressaltou Guilherme.

A iniciativa, inédita, começou a ser implantada em maio deste ano, por meio de capacitações e palestras oferecidas aos técnicos e professores da Rede Municipal de Ensino (Reme).

O trabalho teve a proposta de orientar professores, diretores e coordenadores pedagógicos sobre como detectar sinais de depressão em jovens e crianças e desta forma agir no sentido de auxiliar o aluno a superar o problema.

7ec8cfee-814e-4d52-8af4-288a8136d3acNa escola Isauro Bento, localizada no distrito de Anhanduí, não foi diferente. No entanto, o alvo são os alunos e familiares que nesta quarta-feira (17) participam da culminância do projeto com uma confraternização. Apesar da finalização dos trabalhos, a superintendente de Gestão e Normas da Semed, Alelis Izabel de Oliveira Gomes, destaca que as atividades tiveram um impacto tão positivo na comunidade, que a equipe estuda ampliar essas ações na unidade.

“Escolhemos a Isauro Bento porque ela fica afastada dos CAPs (Centros de Atenção Psicossocial) aqui da Capital, por isso montamos uma equipe de técnicas formadas em Psicologia e Psicopedagogia para oferecer as atividades no contra turno, além de palestras voltados aos pais”, explicou.

As palestras foram ministradas pelo capitão do Corpo de Bombeiros, Edílson Reis, especialista em dependência química e que também realizou as capacitações para os técnicos da Semed no primeiro semestre com o objetivo de discutir a depressão entre os jovens e crianças e como detectar os sinais da doença.

“Aqui estamos fazendo um trabalho de prevenção. É um trabalho inédito da prefeitura e deveria se tornar piloto em outras cidades porque a prevenção é fundamental. Vamos fazer novas ações, como sessões de cinema, trazer o BOPE e o Corpo de Bombeiros. Essas famílias moram em assentamentos, chácaras e sítios e têm dificuldade de se deslocar até a Capital para participar de atividades como as oferecidas na escola”, pontuou Reis.

Em suas palestras, ele falou os pais sobre a importância do acolhimento e da atenção familiar. “O jovem não quer só ouvir cobranças. Ele precisa se sentir amado e sentir que pode confiar na família para desabafar”, disse o capitão aos mais de 100 pais presente em uma de suas palestras.

Fortalecimento e confiança

Para2a0b8228-cb78-48cf-9a10-d6d868db5e46 (1) os pais presentes, foi a oportunidade de ter um diálogo franco sobre as transformações pelas quais os adolescentes passam e as dificuldades de educar após o advento das redes sociais.

A empresária Angela Benitez Rocha, mãe de Gabriel, também estudante da Isauro Bento, disse que foi a primeira vez que participou de uma palestra com o tema proposto. “Tenho um ótimo diálogo com o meu filho, mas ele já foi vítima de bulliyn em outra escola e por isso é importante participar dessas atividades porque abre a sua mente. Hoje as crianças têm um acesso fácil a Internet e você precisa ter um relacionamento próximo de seu filho para saber o que acontece com ele”, afirmou.

Mas estabelecer essa confiança nem sempre é tarefa fácil, segundo as técnicas que estão atuando na escola. Por isso, as atividades lúdicas e jogos foram os elementos escolhidos por elas para incentivar as crianças e jovens a se expressarem e debaterem temas como depressão e bullying, além de fortalecerem os vínculos com os colegas.

“Tentamos resgatar a importância de cada aluno aqui na escola, foi um trabalho que envolveu toda a equipe da unidade, que já no acolhimento demonstra a importância do carinho. Fazemos um trabalho de prevenção, para que a depressão não tenha espaço. É importante que eles não se sintam sozinhos”, disse a psicóloga e psicopedagoga Liara Barbosa Vieira Nogueira, que trabalha com as colegas Maria de Fátima Vaz dos Santos e Luciene Soares de Souza Caxias.

Para a aluna Lorrayne da Silva Coelho, 15 anos, a tática funcionou e após quatro semanas participando das ações, ela diz estar mais segura para se expressar. “Eu dava muita importância para coisas bobas e era muito tímida, não conseguia falar o que eu sentia, passar meus sentimentos para os outros. As atividades me ajudaram muito e até meu relacionamento em casa melhorou”, ressaltou.

As técnicas, no entanto, destacam que as atividades foram apenas o inicio de um projeto que deve se estender e que o trabalho desenvolvido na escola não tem nada a ver com um atendimento clínico. “Para isso existem os CAPs e postos de saúde. Quando há necessidade, fazemos os encaminhamentos”, esclareceu Luciene.