Campo Grande, MS
domingo, 9 de maio, 2021

Saúde

Mídia CG > Saúde > COMBATE AO AEDES É INTENSIFICADO EM REGIÃO COM ALTO ÍNDICE DE INFESTAÇÃO

COMBATE AO AEDES É INTENSIFICADO EM REGIÃO COM ALTO ÍNDICE DE INFESTAÇÃO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

As ações da Campanha “10 dias contra o Aedes” acontece em todas as regiões de Campo Grande até o próximo dia 22, num esforço concentrado para eliminar possíveis criadouros do mosquito que transmite a dengue, zika e chikungunya. Nesta terça-feira, a UBSF Sírio Libanês iniciou varredura nos imóveis na busca por focos, envolvendo a equipe de profissionais da unidade. Segundo o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRaa) de janeiro deste ano, a região da área de abrangência da UBSF Sírio Libanês apresentou 5,3% no Índice de Infestação Predial (IPP), número considerado de risco.

Os agentes comunitários de saúde eliminam possíveis criadouros do Aedes nas visitas às residências.

Os agentes comunitários de saúde eliminam possíveis criadouros do Aedes nas visitas às residências.

O primeiro bairro vistoriado foi o Santo Amaro, onde estão concentrados a maioria dos focos de larvas do Aedes aegypti. Os agentes comunitários de saúde (ACS) visitaram as residências de oito quadras, conversando e orientando moradores, além de eliminar potenciais criadouros do mosquito.

A orientação à população da região da UBSF Sírio Libanês é para que colabore com as equipes, permitindo a entrada dos agentes para encontrar e eliminar possíveis criadouros, além de manter quintais limpos e descartar recipientes que possam acumular água, servindo de foco para reprodução do mosquito.

Ao todo, 19 ACS devem vistoriar 142 quadras até o fim da Campanha, com o objetivo de reduzir os focos do mosquito e, consequentemente, as doenças causadas, que provocam grande sofrimento à população.

Até janeiro deste ano, foram notificados 2338 casos de dengue, 45 de zika e 40 de chikungunya. Em janeiro do ano passado (2018), foram notificados 374 casos de dengue, 27 de chikungunya e 22 de zika.