Campo Grande, MS
terça-feira, 24 de novembro, 2020

Notícias

Mídia CG > Notícias > EM AÇÕES PARA PREVENIR ENCHENTES, PREFEITURA DESOBSTRUI CANAIS DE CÓRREGOS; LIMPA GALERIAS E 8 MIL BOCAS DE LOBO POR MÊS

EM AÇÕES PARA PREVENIR ENCHENTES, PREFEITURA DESOBSTRUI CANAIS DE CÓRREGOS; LIMPA GALERIAS E 8 MIL BOCAS DE LOBO POR MÊS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Nos últimos 60 dias, período em que praticamente não choveu, a Sisep (Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos) executou uma série de ações para melhorar a vazão dos córregos que cortam o perímetro urbano,  além da limpeza e desobstrução da parte da rede de drenagem. São ações preventivas que preparam a cidade para o período de chuva mais intenso a partir de outubro.

A estratégia inclui  limpeza dos canais, galerias pluviais, bocas de lobo, além do desassoreamento na nascente do Córrego Revellion e do Segredo, na região do conjunto Estrela do Sul.

IMG_4909 (Copy)

Do  Revelllion e do Segredo  foram retirados mais de 9 mil metros cúbicos de areia, transportados em quase 900 viagens de caminhão. Em média estão sendo limpas 8 mil bocas de lobo por mês, numa ação que envolve sete equipes.

Segundo o superintendente de Serviços Públicos,  Mehdi Talayeh, são ações preventivas que visam reduzir o impacto do período de chuvas  sobre  a estrutura de drenagem da cidade. “O trabalho não é uma garantia que não haja transbordamento dos córregos e consequência, o alagamento no entorno dos córregos. Se o volume de chuva ultrapassar os índices históricos de precipitação, provavelmente teremos problemas pontuais, cuja solução, depende de pesados investimentos na construção de bacias de contenção e represar de contenção. Até que se encontrem recursos para viabilizar os projetos, a alternativa é reforçar a manutenção”, destaca.

Nesta quarta-feira equipes da SISEP trabalharam na limpeza do canal do Córrego Prosa, na altura do piscinão às margens da Rua Paulo Coelho Machado. O objetivo é retirar areia acumulada na entrada das galerias, pedras, galhos de árvores que descem junto com a correnteza. “Este material reduz a capacidade de vazão do córrego, aumentando o risco de transbordamento”, explica Medhdi.

Nas três frentes de pavimentação em andamento na cidade (nas regiões do  José Tavares, Jardim Anache e Nova Limpa e no Santa Luzia, em licitação), os projetos prevêem a construção de piscinões. Estas bacias de contenção vão reduzir a pressão sobre os córregos Imbirussu, Botas e Segredo. Neste último,  o assoreamento das bacias de retenção,tem provocado o transbordamento na altura da rotatória das avenidas Ernesto Geisel com Rachid Neder, onde recebe ás águas do Cascudo.

“Com a retirada de 4 mil metros cúbicos de areia do Segredo, acredito que se não chover acima da média histórica num curto período,os transtornos serão bem menores”, avalia o superintendente.

No  Jardim Anache, onde a pavimentação já foi  concluída, estão sendo implantados de 870 metros de tubulação  numa área de servidão dentro da Chácara Chaparral. São tubos de 80 e 1 metro de diâmetro, com um dissipador de energia para reduzir a velocidade da enxurrada antes de desembocar no Córrego Botas.