Campo Grande, MS
sexta-feira, 7 de maio, 2021

Notícias

Mídia CG > Notícias > EM VISITA, MINISTRA DAMARES ELOGIA CASA DA MULHER BRASILEIRA E A CLASSIFICA COMO REFERÊNCIA INTERNACIONAL

EM VISITA, MINISTRA DAMARES ELOGIA CASA DA MULHER BRASILEIRA E A CLASSIFICA COMO REFERÊNCIA INTERNACIONAL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

A Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, visitou a Casa da Mulher Brasileira na manhã desta sexta-feira (28) e elogiou a rede de apoio feminino, a classificando como referência internacional e inspiração para a construção de outras casas no Brasil.

“É um trabalho reconhecido no mundo, eu saio falando disso aqui no mundo todo. Como eu gostaria que todas as casas tivessem esse apoio, é uma idéia extraordinária e se pudermos salvar uma só mulher, já valeu a pena todo o dinheiro e trabalho investidos. Nós temos que pensar que estamos protegendo gerações”, disse a ministra.

IMG_0605 (Copy)

Durante a visita a casa que conta com 257 funcionários, Damares anunciou ainda a inauguração de novas unidades da Casa pelo Brasil. “Esse projeto deu tão certo que virou modelo para outras casas no Brasil e em outros países. Até brinquei hoje que queria mudar meu gabinete para cá, porque aqui funciona o que a gente quer para o Brasil inteiro e tudo isso só mostra o compromisso do prefeito com a pasta, uma atitude ousada e corajosa, mas que no final traz um resultado maravilhoso e que está sendo perpetuado”, ressaltou.

Sobre o atendimento à mulher e acompanhamento da rede, a ministra pontuou. “É extraordinário, primeiro o atendimento com dignidade, essa mulher sai de casa destruída e a forma como ela é recebida, já muda a vida dela ai. A forma como é conduzida depois para proteção e tem suas vidas transformadas, é incrível. Às vezes não é uma mulher que está sendo transformada, é uma família, uma cidade inteira, pode ser uma nação. É incrível o que acontece aqui, esse instrumento é um dos mais extraordinários do mundo, quero levar essa experiência por onde eu passar”.

“O que nós temos visto é um compromisso da gestão com as políticas públicas das mulheres e a demonstração disso foi à reestruturação da Casa da Mulher Brasileira, o aumento de profissionais na rede, proporcionando a melhora nos atendimentos prestados”, disse Carla Stephanini – Subsecretária de Políticas para a Mulher.

“Nós recebemos ainda acadêmicas de mestrado e doutorado de todo lugar do Brasil, que vem para passar a semana com a gente e depois voltam com uma nota máxima. Essa casa é motivo de muito orgulho porque agora também somos base cientifica, servimos de estudo, produzindo dados e estatísticas”, completou a coordenadora Geral da Casa da Mulher Brasileira, Tai Loschi.

Acolhimento à primeira infância em Campo Grande é exemplo para o país, afirma Ministra

7Z2A1509 (Copy)

A convite da Vice-prefeita, Adriane Lopes, e da Primeira Dama, Tatiana Trad, a Ministra Damares visitou o Abrigo UAI Bebê – Unidade de Acolhimento Institucional do Município. O trabalho desenvolvido emocionou a ministra e Damares afirmou que o acolhimento à primeira infância em Campo Grande é um exemplo para o país. O prefeito Marquinhos Trad compareceu na recepção da comitiva ministerial e se descontraiu brincando com as crianças maiores da Unidade de Acolhimento.

7Z2A1539 (Copy)

“Esta de parabéns. São crianças lindas e muito bem cuidadas. Prova disso é que a capital sul-mato-grossense se tornou destaque nacional e chamou nossa atenção para conhecer a metodologia aplicada por meio do Programa Criança Feliz nessa unidade que acolhe bebês de 0 a 3 anos”, elogiou a ministra Damares.

Criado pelo Governo Federal em 2016 e implantado em Campo Grande no ano seguinte, o programa tem objetivo de apoiar e acompanhar o desenvolvimento infantil integral na primeira infância (crianças de 0 a 6 anos de idade) e facilitar o acesso da gestante, das crianças e de suas famílias às políticas e aos serviços públicos que necessitam.

O ‘Criança Feliz’ se desenvolve por meio de visitas domiciliares que, em Campo Grande, tornaram-se referência pela metodologia aplicada por parte dos visitadores, capacitados pela Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS).

Desde 2017, o serviço voltado a crianças abrigadas nas Unidades de Acolhimento Institucionais de Campo Grande tem atingido índices satisfatórios por meio de uma postura de intervenção humanizada, que consegue ampliar o acesso às seguranças socioassistenciais afiançadas pela política pública de Assistência Social.

“Aqui em Campo Grande, o programa superou todas as metas, com perspectiva de aumentarmos esses índices no próximo ano. O que chamou atenção da ministra e sua comitiva foi a forma de acolhimento das crianças que estão sob cuidado do município. Assistir e assegurar a proteção, sobretudo afetiva a essa criança, que já foi privada do convívio familiar, é sem dúvida um desafio e, com as capacitações feitas por nossas equipes da Assistência Social, essa abordagem tem sido satisfatória e conseguido atingir seu objetivo”, ressalta Adriane Lopes, que realiza acompanhamento permanente das crianças acolhidas nas quatro UAI’s.

7Z2A1480 (Copy)

A primeira dama reforça que as crianças abrigadas não devem ficar institucionalizadas e, para isso, precisam que os agentes públicos ajam para garantir que elas possam retornar ao seio familiar e terem, assim, sua infância preservada.

“Podemos afirmar que a atual administração de Campo Grande tem feito a diferença, ao transformar essas casas que abrigam essas crianças em lares. Antes essas crianças viviam em locais que funcionavam como orfanatos, sem aquele ambiente familiar. Hoje, a realidade é diferente. A gestão municipal tem um olhar humanizado para essa questão e os resultados são surpreendentes. Quando os gestores implementam as ações, até que apareçam os resultados, não é possível ter certeza de nada. E, quando vem uma equipe do Governo Federal e se emociona conosco durante suas visitas, nos dá a certeza de que estamos no caminho certo”, enfatiza Tatiana Trad.

Atualmente, 78 crianças e adolescentes estão acolhidas nas quatro UAIs (Bebê – Crianças – Feminino – Masculino).