Campo Grande, MS
segunda-feira, 27 de setembro, 2021

Notícias

Mídia CG > Notícias > FILARMÔNICA JOVEM DO PANTANAL ENCERRA TURNÊ MÚSICA DO MATO ARARAS DA CIDADE

FILARMÔNICA JOVEM DO PANTANAL ENCERRA TURNÊ MÚSICA DO MATO ARARAS DA CIDADE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
37364084_1973664842695270_8325009953936900096_n

Levar música de concerto para um maior número de espectadores e ainda valorizar pontos turísticos de capital. Com esse objetivo o violinista Caio Fortunato de Haro gravou três vídeos com canções eternizadas por grandes compositores, Antônio Vivaldi, Hermínio Gimenez e Henry Purcell para serem divulgados em plataformas digitais.

O projeto, contemplado pelo Fundo Municipal de Incentivo à Cultura (FMIC), por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, da Prefeitura Municipal de Campo Grande, teve como cenário o Museu das Culturas Dom Bosco.37392546_1973664622695292_5776742686841110528_n

Dois vídeos gravados na sala Xavante, onde o espaço expográfico assemelha-se a um labirinto. Quem conhece a cultura xavante sabe que a maioria das danças, dos movimentos rituais constroem espirais e nesse caso pode-se relacionar esta forma com a estrutura física do local.

Foi nesse espiral que a Orquestra Preludio, convidada por Caio para essa gravação, se posicionou fazendo também uma reverência aos povos ancestrais brasileiros ali representados. Foi gravando o 2° Movimento do Concerto para Alaúde em Ré Maior “Andante” de Vivaldi – transcrição para violão – com o solista Jorge Cáceres Cunha e “Rondeau” de Henry Purcell.

“São músicas que tem mais de 300 anos e se estão aqui até hoje e ainda são apreciadas por tantas pessoas é porque tem algo de especial e ultrapassaram os limites de tempo e espaço. São obras primas mundiais que queremos que cada vez mais pessoas conheçam, por isso decidimos registrar e divulgar, assim como esse museu que nos toca de maneira tão especial”, destacou Caio.

No espaço do Povo Bororo, cujo destaque é o Caminho das Almas, a gravação foi da obra do compositor Paraguaio Hermínio Gimenez, Che Trompo Arasa. A ligação de Gimenez com a cultura de Mato Grosso do Sul é fortíssima, tanto pela influência paraguaia, quanto por sua presença registrada várias vezes em Campo Grande. Em uma dessas ocasiões, o compositor deixou a próprio punho uma versão de Che Trompo Arasa para o pianista Júlio Figueiredo, que a cedeu a Caio.

Che Trompo Arasa, do guarani, denomina um pião de brinquedo feito da madeira, na letra da música faz alusão ao girar da vida, a infância, as paixões, “um espiral musical” e com a Orquestra ganha uma versão instrumental.

O vídeos estão disponíveis no Youtube no seguinte endereço:

http://bit.ly/2uyzvIi