Campo Grande, MS
quinta-feira, 6 de maio, 2021

Educação

Mídia CG > Educação > MERENDEIROS PARTICIPAM DE CURSO DE HIGIENE E MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS

MERENDEIROS PARTICIPAM DE CURSO DE HIGIENE E MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Com a intenção de oferecer alimentação de qualidade aos alunos das 197 unidades escolares da Rede Municipal de Ensino (Reme), a Secretaria Municipal de Educação (Semed), está promovendo, até esta sexta-feira (28), para os merendeiros da Reme, um curso de higiene e manipulação de alimentos, oferecido pelas nutricionistas da Superintendência de Alimentação Escolar (Suali).

CursoMeredeiros2

A capacitação tem nove horas de duração conforme determina a Vigilância Sanitária de Campo Grande, através de certificado registrado, com validade de 3 anos.

O curso comprova a aptidão e conhecimento dos manipuladores de alimentos em sua rotina diária em recebimento, armazenamento, preparo e distribuição das preparações.

Com a formação os merendeiros também aprenderam a zelar pela conservação dos alimentos oferecidos aos estudantes da Reme, garantindo que eles possam crescer e se desenvolver preservando sua saúde.  O curso é importante também devido a admissão e troca recente de diversos profissionais merendeiros da Reme.

A expectativa é que pelo menos 240 profissionais sejam capacitados. Este ano já passaram pelo curso 150 merendeiros, atendendo às exigências da Vigilância Sanitária.

Os temas abordados são: alimentos e saúde, higiene pessoal, higiene de alimentos, higiene de equipamentos e utensílios, higiene dos alimentos e manipulação de alimentos.

Também são tratados temas, como: cuidados necessários no cuidado com os alimentos, métodos de conservação e doenças transmitidas por alimentos. Técnicos da Vigilância Sanitária irão ministrar palestra sobre a importância do cumprimento das legislações sanitárias na alimentação escolar.

A nutricionista da Semed, Suelen Rotela, falou da importância de realizar o curso para os merendeiros. Ela frisa que todo o conteúdo deve ser pautado para lembrar repetitivamente sobre a produção de alimentos

“Toda informação é valida. São informações básicas que todo manipulador tem que ter para a produção de alimentos. Todas as vezes que conversamos, fazemos com que esse conhecimento esteja sempre vivo na rotina de trabalho”, disse.

Suelen ainda ressaltou que neste curso foi repassado para os merendeiros o conhecimento sobre microbiologias e a manipulação de carnes do tipo: IQF (Individually Quick Frozen), adquiridas pela Prefeitura, que significa em português “Congelamento Rápido Individual”. Esse tipo de carne elimina as inconveniências de descongelamento de todo o conteúdo da embalagem, possibilitando descongelar e misturar somente as porções desejadas.

“Estamos apontando dentro do conteúdo do curso essa novidade sobre esse tipo de carne. Essas carnes estão sendo inseridas na alimentação escolar e a manipulação desse alimento é diferente. Estamos repassando os cuidados de como deve proceder com o produto.”

Conhecimento

Ivanir Costa Almeida, merendeira da Escola Municipal Padre Thomaz Ghirardelli, localizada no bairro Parque Lageado, falou o que achou do curso oferecido pela Secretaria e o que aprendeu de novo.

“Eu gosto de participar desses cursos, tem muita coisa que a gente não sabe. Aqui aprendemos muita coisa que levamos para a escola. O que mais me chamou a atenção foi a forma de guardarmos os alimentos. Sua separação era uma de minhas duvidas”, disse.

Para Odinei de Almeida Pinho, da Escola Municipal João Nepomuceno, do bairro Taquarussu, as informações mais interessantes foram sobre microbiologia.

“Achei o curso ideal para nós que mexemos com a manipulação de alimentos. Temos que renovar todo ano. Eu aprendi coisas novas, como os microrganismos, coisas que a gente quase não se atenta. Aprendemos novas maneiras de cuidar e de tratar esse microrganismo, de cuidar o alimento ate chegar a pessoa. O curso nos eleva profissionalmente”, afirmou

A oficina dos merendeiros esta sob a obediência ao Decreto de nº 11.292, de 24 de agosto de 2010, ao qual estabelece normas e procedimentos para a capacitação de trabalhadores que manipulam alimentos.