Campo Grande, MS
quarta-feira, 12 de maio, 2021

Notícias

Mídia CG > Notícias > PREFEITURA CRIA GRUPO DE TRABALHO PARA IMPLANTAR CENTRO DE INOVAÇÕES EM CAMPO GRANDE

PREFEITURA CRIA GRUPO DE TRABALHO PARA IMPLANTAR CENTRO DE INOVAÇÕES EM CAMPO GRANDE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

O GET (Grupo Especial de Trabalho) realizou a primeira reunião na tarde desta segunda-feira (29). Ele foi criado com a missão de estudar e estruturar projeto de criação e implantação de um Centro de Inovações do Município de Campo Grande.

Além dos integrantes do GET, coordenado pelo servidor Bruno de Assis Rossato, a reunião contou com presença do professor Renato Pires, que atua como consultor por sua experiência na área de tecnologia.

O GET, criado no âmbito da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e de Ciência e Tecnologia (Sedesc), terá prazo até 31 de julho de 2019 para estudar a viabilidade e oportunidade de criação e implantação do Centro de Inovações, analisando todos os aspectos, legais e sócio-econômicos, relacionando-se com outras esferas públicas e privadas locais.

Importância do Centro de Inovações:

“Ciência, tecnologia e inovação hoje são insumos fundamentais para qualquer atividade humana, seja pública ou privada”, afirma o professor Renato Pires, acentuando a importância da implantação do projeto. Para ele, se alguém ignora esses aspectos corre o risco de ser atropelado pelos fatos.

“A idéia do Centro de Inovações é que a Prefeitura, as empresas e os cidadãos de Campo Grande se situem à frente do processo, prevenindo, trazendo aquilo que vai ser incorporado ao dia a dia e fazendo com que isso se faça de forma ordenada, produtiva, com recursos e com resultados para o cidadão”, detalhou Renato Pires.

O GET terá reuniões quinzenais e contará, nessas reuniões, com participação de especialistas na área de tecnologia, que deverão trazer importantes subsídios para os debates.

“Na reunião de hoje, dividimos os integrantes da comissão em 4 sub-grupos, que levantarão aspectos jurídicos, arquitetônicos, organizacionais e orçamentários do projeto”, destacou Bruno Rossato, coordenador do GET.