Campo Grande, MS
domingo, 29 de novembro, 2020

Notícias

Mídia CG > Notícias > Prefeitura investe R$ 834 mil para melhorar convívio em condomínios populares

Prefeitura investe R$ 834 mil para melhorar convívio em condomínios populares

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Empresa fará projeto social para orientar moradores em diversos aspectos.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Habitação (Emha), publicou no Diário Oficial do município desta segunda-feira extratos de três contratos no total de R$ 834.840,00, para execução de projetos sociais com moradores beneficiados por habitações populares. A empresa MP-Assessoria, Consultoria e Serviços LTDA-EPP vai orientar as famílias quanto ao convívio em condomínios. As ações partem desde lições de comportamento até educação de trânsito. Nesta etapa, os projetos são direcionados a grupos de moradores do Residencial Celina Jallad.

Eneas José de Carvalho Netto, presidente a Emha, disse que o município deve destinar ao trabalho técnico social, por lei, 3,5% do valor total de cada empreendimento, conforme determinação do Projeto Minha Casa Minha Vida, da Caixa Econômica Federal. O objetivo é instruir os beneficiados a fim de evitar conflitos e abandono de imóveis. “Em escala federal, ao longo dos anos foi verificado que algumas pessoas tinham mais dificuldade para se adaptar às regras do novo tipo de convívio social, em condomínio, e acabavam saindo da casa e vendendo o imóvel”, disse.

Por este motivo, foi definido que uma parcela do valor global dos empreendimentos fosse usada para a formação de lideranças, geração de renda, educação de trânsito, educação ambiental, higienização de ambiente, saúde, convívio, entre outros segmentos. O último “curso” durou cerca de oito meses, realizado com moradores do Jardim Canguru, onde houve registros de brigas. “Será realizado também em outros condomínios. A empresa elabora um projeto e encaminha para a Caixa que, após aprovação, autoriza o início. As ações são realizadas antes, durante e depois que a residência é entregue”.

Créditos Renan Nucci