Campo Grande, MS
quinta-feira, 24 de junho, 2021

Notícias

Mídia CG > Notícias > PREFEITURA LEVA PARA TERMINAL INFORMAÇÕES DA CAMPANHA CONTRA ABUSO DENTRO DO TRANSPORTE COLETIVO

PREFEITURA LEVA PARA TERMINAL INFORMAÇÕES DA CAMPANHA CONTRA ABUSO DENTRO DO TRANSPORTE COLETIVO

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
IMG_7182 (Copy)

Para encerrar a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que teve início em 20 de novembro, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Subsecretaria de Políticas para a Mulher e da Secretaria Municipal Especial de Segurança e Defesa Social, em parceria com a Agetran e o Consórcio Guaicurus, realizou nesta segunda-feira (10) um ato no Terminal Morenão, para divulgar as ações de combate ao abuso sexual dentro do transporte público coletivo.

IMG_7115 (Copy)

Pelo menos 100 mil pessoas utilizam o transporte público coletivo todos os dias, em Campo Grande. Intitulada “O transporte é público, o meu corpo não!”, a campanha reforça o direito das mulheres de não serem importunadas. “Estamos aqui mais uma vez, para reforçar o direito de ir e vir de todas as mulheres, com segurança, com respeito e com dignidade. Não podemos aceitar nenhum tipo de abuso. O transporte coletivo é um direito de todas as pessoas e não podemos aceitar que as mulheres sejam vítimas de abuso, seja no ônibus ou em qualquer outro espaço coletivo”, disse a subsecretária de Políticas para a Mulher, Maritza Cogo.

IMG_7125 (Copy)

A chefe da Divisão da Patrulha Maria da Penha (vincula a Sesdes), Nelis Brauna, ressalta a importância da divulgação dos canais disponíveis para denúncia no caso de abusos. “Essa campanha é fundamental, pois somente com o conhecimento e as informações necessárias sobre seus direitos e a rede que as protegem, as mulheres se sentirão seguras para denunciar. Muitas vezes, as vítimas acabam  não buscando ajuda por não saberem a quem recorrer. Essa campanha visa justamente isso, tornar o atendimento eficiente, objetivo e rápido”.

Ao lembrar que a atual administração municipal tem intensificado a abordagem nos terminais de ônibus, o secretário de Segurança e Defesa Social, Valério Azambuja, destaca que a população está tomando consciência de que hoje o poder público está presente para protegê-la.

IMG_7177 (Copy)

“As medidas que estamos tomando, somadas às ações e campanhas como essa de hoje, estão dando resultados bastante positivos. A partir de o momento em que as pessoas denunciam e os casos começam a aparecer e, as pessoas entendem que estão sendo observadas dentro dos ônibus, é natural que esses tipo de abusos, de cunho sexual, tende a diminuir ou até mesmo acabar. Quando uma mulher se sentir incomodada ou alguém observar um comportamento suspeito dentro do transporte coletivo, deve imediatamente comunicar o motorista que, irá acionar a polícia municipal ou a polícia, através dos números 153 ou 190, e encaminhar o suspeito para que sejam tomadas as medidas cabíveis”, informa Azambuja.

IMG_7139 (Copy)

A dona de casa Maria Aladir Rodrigues, 66 anos, disse que já se sentiu ‘incomodada’ dentro do ônibus por causa do comportamento de outro usuário e, mesmo assim, não comunicou sobre o ocorrido, por não saber a quem buscar. “Eu simplesmente desci antes do meu ponto para me livrar daquela situação. Infelizmente as pessoas acabam se calando nessas situações e não buscam justiça. Acho importante a divulgação desses canais de denúncia para que seja mais fácil a pessoa fazer a denúncia no momento que o fato ocorre”.

IMG_7146 (Copy)

Já a professora Marli Leme, 60 anos, disse que nunca passou por esse tipo de situação, porém, conhece muitos casos de abusos ocorridos dentro dos ônibus e que se sente insegura em algumas viagens. “Quando eu percebo algo estranho eu já me afasto para não dar chance de acontecer nada desagradável. Fico o tempo todo atenta. Mas sei que às vezes isso acontece quando menos esperamos e por isso tantas mulheres são vítimas desses abusos. Acredito que a prefeitura está agindo na hora certa e informando a população de que essas situações não ficaram impunes”.

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, teve sua primeira edição em 1991 e já conquistou a adesão de 160 países desde então. No Brasil, a Campanha começou a ser realizada em 2003.

O ato no Terminal Morenão contou com a presença e participação do diretor do Consórcio Guaicurus, João Resende.