Campo Grande, MS
domingo, 23 de janeiro, 2022

Notícias

Mídia CG > Notícias > PREFEITURA RETOMA OBRA PARADA HÁ CINCO ANOS NO RESIDENCIAL BELLINATE

PREFEITURA RETOMA OBRA PARADA HÁ CINCO ANOS NO RESIDENCIAL BELLINATE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

A Prefeitura de Campo Grande retomou a implantação de drenagem e pavimentação  no Residencial Bellinate,  localizado na região urbana do Imbirussu. As obras foram interrompidas há  cinco anos, quando a empreiteira vencedora da primeira licitação pediu rescisão do contrato, com 31% do serviço realizado.

IMG_4532 (Copy)

O projeto foi readequado para contemplar trechos  de três ruas (que somam uma extensão de pouco mais de meio quilômetro) e fazer a interligação por asfalto do Recanto dos Pássaro com o Ana Bairro Maria do Couto, bairros vizinhos ao Bellinate. O serviço está em andamento justamente nestas vias, com terraplanagem na Rua Venturellis e imprimação para receber a capa asfáltica nas ruas  Mutum e Colheiro, no trecho até a Rua Marina Souza Splenger.

“Finalmente lembraram da gente”, desabafa a dona de casa Keuzia Naiara, residente na Rua Venturrelli, uma via  de 134 metros, rodeada de ruas asfaltadas. A poeira, no período de estiagem, e barro,  nos dias de chuva, fizeram parte da rotina dela e do restante da vizinhança.

Há também equipes trabalhando na construção do meio-fio nos trechos já asfaltados e  concluindo a topografia onde na próxima semana começa a terraplanagem.  A previsão da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços é que em 90 dias o bairro esteja pavimentado.

O investimento previsto é de R$ 1.951.310,07, sendo R$ 1.679.776,69, recursos de um financiamento do PAC Pavimentação e R$ 271.533,38, de contrapartida, viabilizada em parceria com o Governo do Estado. Para concluir o projeto, serão executados 1,9 km  de asfalto, concluídos 640 metros de drenagem. Também será recapeada a Avenida Wanderlei Pavão,  principal via de acesso ao Jardim Aeroporto, trecho entre as avenidas Júlio de Castilho e Professor José Barbosa Rodrigues.

Obra pela metade

A interrupção das obras no Bellinate criou situações como a que ocorre em ruas  como a Rua Morro Pilar: há trechos asfaltados, mas falta meio-fio, calçada e a sinalização de trânsito.  Na quadra entre a Avenida Júlio de Castilho e a Rua Francisco Torraca Bellinati, metade da pista tem  pavimentação e na outra foi feita apenas a imprimação (estágio que precede a aplicação do pavimento).

“Fui privilegiada. Do lado onde fica minha casa, já tem asfalto; o vizinho da frente não tem”, comenta, bem humorada, dona Agripina Aparecida, 61 anos, que mora no bairro desde 2003. “Conheci aqui antes de virar bairro. Era uma chácara. Quando surgiu o loteamento, fui um dos primeiros a comprar terreno e construir”, revela.

A mesma sorte não teve dona Nilza Aparecida, que mora  no outro lado da rua, onde o serviço foi interrompido quando a empreiteira havia concluído apenas a base do pavimento. “Estamos na expectativa de que essa obra termine, há muito tempo”, afirma.

Em pior situação ficou a Rua Francisco Torraca Bellinati, onde no início de 2015  a enxurrada arrastou o pavimento no trecho asfaltado.  Por dois anos, moradores ficaram praticamente ilhados, pois as chuvas que caíram no período levaram todo o  material de terraplanagem, abrindo crateras.

Helen Renato Gomes, 24 anos, que mora na esquina da Francisco Torraca Bellinati com a Ivolândia, espera não conviver mais com o alagamento da sua casa, construída abaixo do nível, com a  conclusão do asfalto. Na Ivolândia, foi implantada a rede de esgoto e feita a drenagem, mas o serviço parou quando tinha sido feita a base do pavimento.

Vias que serão asfaltadas

Alberto Almeida Júnior, Antonio Canovas Portela,  Edward Quirino Lacerda; Dona Francisca Torraca Belinate; Ivolândia; Pindaré Mirim; Travessa Antônio Serra Silveira; Travessa Dr. Paulo Galhardi; Rua Colheiro;dos Venturellis e Mutum.

Recapeamento  – Avenida Wanderlei Pavão