Campo Grande, MS
quarta-feira, 16 de junho, 2021

Educação

Mídia CG > Educação > PROJETO BELEZA NEGRA REÚNE 77 TRABALHOS DE ALUNOS DE 45 ESCOLAS DA REME

PROJETO BELEZA NEGRA REÚNE 77 TRABALHOS DE ALUNOS DE 45 ESCOLAS DA REME

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Com a proposta de valorizar a cultura afro-brasileira, a prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), inaugurou nesta segunda-feira (12), a segunda edição do projeto: “Beleza Negra –  ressignificações da mulher negra na obra de arte”, com telas produzidas a partir de diversas técnicas e elementos, que poderão ser vistas no shopping Bosque dos Ipês até o dia 25 de novembro, durante o horário de funcionamento do local.

Afro (2)O evento, que marca o mês da Consciência Negra, tem o objetivo de implementar a Lei nº10.639/2003, que propõe ações nas escolas que favoreçam a desconstrução de estereótipos e preconceitos relacionados à população afrodescendente. Para isso, as unidades da Rede Municipal de Ensino (Reme) desenvolvem projetos e atividades durante o ano no sentido de promover o fortalecimento da autoestima e intensificar as ações voltadas para a prevenção de violência contra a mulher.

A segunda edição do Projeto Beleza Negra reúne 77 trabalhos de alunos de 45 escolas da Reme que fizeram adesão ao projeto e desenvolveram durante o 3º e 4º bimestre a sequência didática prevista no projeto, tendo como ponto de partida a discussão sobre as nuances do racismo que se fazem presentes na representação da mulher na mídia, literatura, obras de arte e propagandas, com o objetivo de fortalecer a autoestima da mulher negra.

Presente na abertura da mostra, a secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, disse que é importante desenvolver  ações contra o preconceito para fortalecer o respeito. “Infelizmente ainda nos deparamos com situações de racismo em nosso dia a dia, por isso precisamos reforçar sempre essas iniciativas que valorizam a cultura afro e mostram que somos todos iguais”, comenta.

De acordo com a chefe da Divisão de Educação e Diversidade, Magali Luzio Ferreira, a mulher negra desempenha um importante papel na sociedade brasileira, contudo, ainda enfrenta muitos problemas decorrentes do preconceito. “A equipe da DED vem trabalhando a questão pedagógica junto aos professores,  estimulando e sugerindo os trabalhos didáticos a serem desenvolvidos sobre a cultura afro e a indígena porque é necessária a desconstrução da objetificação que envolve a imagem da mulher negra”, ressaltou.

Ela completa dizendo que além de pouco representada, a mulher negra é retratada com um preconceito mascarado por trás das palavras e das imagens, por isso a proposta dos trabalhos é retratar um universo repleto de referências de penteados, roupas, adereços e maquiagens que valorizam os traços e as características da beleza afro, fortalecendo assim a autoestima das estudantes e a valorização de sua identidade.

Obras

O aluno Daniel Rodrigues dos Santos, do 3º ano da escola Virgílio Alves de Campos, escolheu cores vibrantes para protestar contra o preconceito em sua tela. “Temos que ter respeito com todas as pessoas, foi isso que quis dizer no meu quadro”, enfatizou.

Já a aluna Andressa Pereira, 13 anos, do 9º ano, conta que pesquisou sobre a cultura afro para produzir sua obra. “Fui criando minha ideia aos poucos, conforme ia lendo sobre o assunto e as dificuldades enfrentadas pelos negros. Como sou descendente, fico muito triste quando vejo alguém praticando racismo. Para mim, é como se fosse bullying”, pontuou.

Para a diretora Ângela Maria de Brito, o combate ao racismo e a defesa dos tratamentos igualitários devem ser temas constantes, por isso eles já compõem o projeto político-pedagógico da Reme. “São temas trabalhados durante o ano todo, não apenas em momentos pontuais”, destacou a diretora, que emocionou o público ao levar a tela de um aluno em que ele retratou a própria mãe. “Para ele, ela é uma heroína, o que a fez se emocionar com a homenagem”, finaliza.