Campo Grande, MS
segunda-feira, 23 de novembro, 2020

Notícias

Mídia CG > Notícias > Projeto prevê expandir técnica que utiliza plástico para benefícios na horticultura

Projeto prevê expandir técnica que utiliza plástico para benefícios na horticultura

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Com o propósito de reduzir os custos de produção e obter melhores resultados nas lavouras, a utilização da plasticultura no cultivo das hortaliças, uma tecnologia conhecida como mulching agrícola de solo, começa a ser expandida para os pequenos agricultores de Campo Grande. A Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), a Prefeitura de Campo Grande e a Cooperativa Agrícola de Campo Grande (Coopgrande) realizam neste sábado (15.12) um dia de campo a fim de capacitar os produtores e expandir a prática do mulching na Capital. O programa acontece na fazenda Sant’Anna do Lageado, BR 163 Km 474, a partir das 9 horas. 

O preço para cada mil metros varia entre R$ 750,00 a R$ 800,00.

O projeto Inovando com Mulching, criado em outubro deste ano, vai disponibilizar, inicialmente, 50 canteiros como unidades demonstrativas para que os produtores possam apreender o uso da técnica. “Será um dia de campo que marca o início do Projeto. Apesar de ser uma tecnologia antiga, hoje temos apenas um agricultor na Capital que está iniciando o uso do mulching”, explica o engenheiro agrônomo da Agraer, José Ubirajara Coelho Junior, mestre em Produção e Gestão Agroindustrial.

mulching é uma técnica que introduz um plástico, formando uma barreira física na superfície do solo, garantindo benefícios ao agricultor em diversos aspectos. “Entre os benefícios da plasticultura estão a diminuição do uso de defensores agrícolas, redução da incidência de pragas e controle da umidade do solo, o que reduz também a necessidade do uso de água para a irrigação, se tornando assim uma prática sustentável também”, detalha.

O plástico específico para o campo pode ser orgânico e inorgânico.

O plástico específico para o campo pode ser orgânico e inorgânico, podendo variar nas cores. O preço para cada mil metros varia, segundo o engenheiro, entre R$ 750,00 a R$ 800,00. “O mulching pode durar entre um ano e meio a dois anos, dependendo dos cuidados do agricultor e do tipo de hortaliça que será plantada. Em relação ao preço, compensa, já que hortaliças como abobrinha e pepino podem ser colhidas em até 45 dias depois do plantio, o que já dá retorno financeiro ao agricultor”, afirma.

Mulching

A técnica surgiu em meados dos anos 50, nos Estados Unidos e hoje, além de ser utilizada em horticulturas, chegou até às plantações de café. Das vantagens já citadas, o mulching impede também que os nutrientes se percam por causa das chuvas, mantém a temperatura do solo e protege o mesmo dos agentes climáticos, como geadas e chuvas fortes. 

Fonte: Portal do MS