Campo Grande, MS
sexta-feira, 4 de dezembro, 2020

Notícias

Mídia CG > Notícias > SAS REALIZA AÇÃO DE ABORDAGEM SOCIAL E DE CONSCIENTIZAÇÃO NO TERMINAL RODOVIÁRIO DE CAMPO GRANDE

SAS REALIZA AÇÃO DE ABORDAGEM SOCIAL E DE CONSCIENTIZAÇÃO NO TERMINAL RODOVIÁRIO DE CAMPO GRANDE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), realizou nessa quinta-feira (22) uma ação de abordagem social especializada , no Terminal Rodoviário e entorno, a fim de identificar a presença de possíveis famílias, pessoas e/ou indivíduos em situação de rua, migrante e imigrantes.

O objetivo foi de oferecer atendimento e acolhimento por meio dos serviços da política de assistência social no município, principalmente os imigrantes haitianos que chegam à cidade, seja de passagem ou de permanência.

Em seus relatos, por meio de intérprete, muitos desses imigrantes informam que estão de passagem por Campo Grande, vindos em sua maioria de Corumbá, cidade fronteiriça, sendo que alguns desejam fixar residência no Município e outros passam pela cidade, com destino a vários estados do País como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiânia, São Paulo, entre outros.

sasO coordenador do Centro Pop, Artemio Verçosa, ressalta que a ação – coordenada por equipes da Superintendência de Proteção Social Especial e da Gerência da Rede de Proteção Social Especial de Média Complexidade da SAS – é de suma importância para o município, já que permite identificar as pessoas em situação de rua e propor o acolhimento institucional.

“Há muito imigrantes e migrantes estrangeiros que estão ocupando o espaço do terminal e em torno para pernoitar e fazer suas higienes. Nosso trabalho é de conscientizar a população que por ali passa, os funcionários das empresas e da administração, e orientar essas pessoas para que elas sejam encaminhadas para nossas unidades onde poderão se alimentar, tomar banho, solicitar documentos nacionais e entrar em contato com a família. Mesmo que provisório, até que saiam as passagens para onde o estrangeiro tem por destino de estabilidade, ou seja, onde ele planejou morar e trabalhar, o acolhimento e assistência da SAS é direito garantido”, explica Verçosa.

Apesar da presença de imigrantes haitianos, durante a abordagem não foi possível identificar um número expressivo ou presença de pessoas em situação de rua no local.

SEAS

O Serviço Especializado de Abordagem Social – SEAS é um serviço referenciado ao Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua – Centro POP, em conformidade com a Tipificação dos Serviços Socioassistenciais – 2009 e com o Caderno de Orientações Técnicas do Ministério de Desenvolvimento Social –MDS, os quais preconizam o serviço de forma continuada e programada com a finalidade de assegurar que o trabalho de abordagem social e busca ativa identifique nos territórios a incidência de situações de risco pessoal e social, violações de direitos (trabalho infantil, abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua), dentre outras.

Constituindo um serviço ininterrupto (24 horas/dia, sete dias por semana de segunda a domingo, incluindo feriados), tem como forma de acesso pelos telefones (67) 98405-9528/99290-8174, ou por intermédio de denúncias, busca ativa e demanda espontânea.

O Município possui 04 (quatro) equipes de SEAS/Centro POP, e 03 (três) SEAS/Creas, atuando e referenciada aos equipamentos da Proteção Social Especial da SAS.

O objetivo do serviço configura-se como importante canal de identificação de situação de risco pessoal e social, que podem, em determinadas situações, associar-se ao uso abusivo ou dependência de drogas. Ofertado no âmbito da Proteção Social Especial de Média Complexidade, o Serviço de Abordagem Social deve garantir atenção às necessidades mais imediatas das famílias e dos indivíduos atendidos, buscando promover o acesso à rede de serviços socioassistenciais e das demais políticas publicas na perspectiva da garantia de direitos.

O serviço deve também atuar com a perspectiva de elaboração de novos projetos de vida. Para tanto, a equipe deve buscar a construção gradativa de vínculos de confiança que favoreça o desenvolvimento do trabalho social continuado com as pessoas atendidas.

A abordagem social constitui-se em processo de trabalho planejado de aproximação, escuta qualificada e construção de vínculo de confiança com pessoas e famílias em situação de risco pessoal e social nos espaços públicos para atender, acompanhar e mediar acesso à rede de proteção social.

A Política Nacional para Inclusão Social da População em Situação de Rua (2008) aponta como princípio a promoção e garantia da cidadania e dos direitos humanos, respeito à dignidade do ser humano, sujeito de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e culturais, o direito ao usufruto, permanência, acolhida e inserção na cidade, a não discriminação por motivo de gênero, orientação sexual, origem étnica ou social, nacionalidade, atuação profissional, religião, faixa etária e situação migratória e a supressão de todo e qualquer ato violento e ação vexatória, inclusive os estigmas negativos e preconceitos sociais em relação à população em situação de rua.