Campo Grande, MS
domingo, 23 de janeiro, 2022

Notícias

Mídia CG > Notícias > SEMADUR REALIZA ENCONTRO PARA DEBATER COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIOS

SEMADUR REALIZA ENCONTRO PARA DEBATER COLETA SELETIVA EM CONDOMÍNIOS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Com o objetivo de conscientizar quanto ao correto descarte e destinação dos resíduos sólidos domiciliares e aumentar a adesão da coleta seletiva em Campo Grande, principalmente nos condomínios residenciais, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) convidou mais de 150 representantes de condomínios residenciais para participar de reunião na tarde da última quinta-feira no Centro de Educação Ambiental Leonor Reginato Santini (CEA Polonês).

Durante o encontro, técnicos da Semadur orientaram os participantes que existe legislação que trata da coleta seletiva e que é necessário a adequação às normas. A Lei Complementar nº 209 estabelece o Código Municipal de Resíduos Sólidos e disciplina a limpeza urbana destacando que os prédios residenciais, comerciais e condomínios fechados, com mais de seis unidades são obrigados a construir uma área reservada para fins da coleta seletiva dos resíduos.

coleta seletiva_3

Também foram orientados a como proceder para iniciar o processo de adesão e realização da coleta seletiva nos locais. A educadora ambiental da empresa concessionária que realiza a coleta seletiva CG Solurb, Mara Calvis, participou da reunião demonstrando os materiais que devem ser descartados e enviados para a coleta seletiva e o que é considerado rejeito. “A forma mais simples de realizar o descarte correto dos resíduos que os moradores podem fazer em suas residências é separar o resíduo úmido ou seja orgânico (o que não pode ser reciclado) do resíduo seco (o que pode ser reciclado), o seco vai para a coleta seletiva”, exemplificou.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa, enfatiza a importância da conscientização ambiental e da responsabilidade de cada cidadão. “É preciso maior conscientização da população em entender que o seu resíduo simplesmente não desaparece quando ele o descarta na rua, nos contêineres. Existe toda uma legislação que rege essa cadeia de resíduos e todos são responsáveis pela correta separação e descarte”, pontua.

Uma das síndicas que atendeu o convite e participou da reunião, Mirela Ustulin e Santos destacou a relevância de momentos como este que auxiliam na exposição da legislação e de como se regularizar.  “Nem todos os condomínios contam com empresas administradoras, em muitos casos o síndico é um morador que se dispôs a exercer essa função e não tem conhecimento da legislação dos resíduos, por exemplo. Essa é uma oportunidade de aprendermos e buscarmos a regularização”, comentou, destacando que é relevante sensibilizar as pessoaspara que sejam multiplicadoras da conscientização ambiental.