Campo Grande, MS
quinta-feira, 6 de maio, 2021

Saúde

Mídia CG > Saúde > VACINA DTPA PARA GESTANTES É TEMA DE SEMINÁRIO PARA VACINADORES DA SESAU

VACINA DTPA PARA GESTANTES É TEMA DE SEMINÁRIO PARA VACINADORES DA SESAU

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest

Manter a Caderneta de Vacinação atualizada é um dever de todas as pessoas, em especial as gestantes e parceiros, para prevenir que doenças sejam transmitidas à criança antes mesmo do nascimento. A vacina dTpa, ou tríplice bacteriana acelular do tipo adulto, imuniza as grávidas contra difteria, tétano e coqueluche, em uma única dose e está disponível nas 68 unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande, com funcionamento de acordo com o horário de cada local.

Aplicada a partir da 20ª semana de gestação tem como objetivo principal prevenir a coqueluche em crianças recém-nascidas de 0 a 2 meses de vida. A doença conhecida como “tosse cumprida” é evitável a partir dos anticorpos produzidos pela mãe durante a gestação após a dose da vacina.

Em Campo Grande, 98,66% (10.159) das gestantes tomaram a dose da vacina em 2018. À época, esse público era estimado em 10.296. Ainda naquele ano, foram confirmados sete casos de coqueluche em adultos e 6 em crianças menores de 1 ano. Já em 2019, a Sesau registrou dois casos em adultos e nenhum nos pequenos.

Pretendendo elevar ainda mais a cobertura da dTpa para gestantes, a Secretaria em parceria com a GSK – GlaxoSmithKline promove nesta quarta-feira (03) um seminário voltado para vacinadores das UBS/UBSF com o objetivo de sensibilizar as grávidas sobre a importância de receber a dose.

Mobilizar as mães e os familiares próximos da criança é muito importante para garantir que os pequenos cresçam saudáveis e sem complicações. A criança não está imune totalmente com os anticorpos recebidos da mãe durante a gestação. Por isso, é preciso tomar três doses da Pentavalente, que além de imunizar contra a difteria, o tétano e a coqueluche, protege também contra a hepatite B e as infecções causadas pelo Haemophilus influenzae b. Aplicada aos 2, 4 e 6 meses de idade a criança fica totalmente imune a essas doenças quando completado o esquema vacinal.

Em 2018, 12.512 crianças de dois meses de vida receberam a primeira dose da penta, enquanto que 10.711, ou seja, 85,6% receberam a terceira dose no sexto mês, totalizando 1,8 mil crianças que não foram totalmente imunizadas.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Mariah Barros, ressalta a importância da sensibilização das gestantes. “A cobertura da vacina dTpa é muito satisfatória e próximo de 100%, mas acreditamos que podemos aumentar ainda mais. Ao fazermos isso, elevamos a dose imunizante da pentavalente nas crianças no sexto mês de vida. Os pais, responsáveis são atores sociais importantes na prevenção destas doenças que podem levar à morte, que é rara, mas pode acontecer em casos com episódios de complicações clínicas”, explicou ela.

O que é Coqueluche?

Coqueluche é uma doença respiratória altamente contagiosa. É geralmente marcada por uma tosse severa e seca, seguida por uma ingestão aguda de ar que soa como “grito”. Causada pela infecção de uma bactéria chamada Bordetella pertussis, que afeta o topo da garganta (faringe). As bactérias causam um incômodo na garganta, que dão origem às tosses.

Quando uma pessoa infectada com coqueluche espirra ou ri, pequenas partículas de saliva ou muco contendo a bactéria são lançadas no ar. A coqueluche pode infectar outras pessoas que respiram o ar contendo essas partículas. Além disso, a bactéria pode contagiar outras pessoas caso o infectado entre em contato com alguém após espirrar ou tossir, cobrindo a boca e nariz com as mãos, que fica portanto infectada com bactérias.

Os sintomas aparecem sete ou 14 dias após uma pessoa ser infectada com a bactéria.

Serviço
Seminário dTpa para vacinadores
SESAU/GSK
Hotel Deville
Quarta-feira, 03 de julho, a partir das 8h.