Campo Grande, MS
quinta-feira, 26 de novembro, 2020

Saúde

Mídia CG > Saúde > VIGILÂNCIA SANITÁRIA INTERDITA ÓTICA QUE FUNCIONAVA IRREGULARMENTE EM BAIRRO DA CAPITAL

VIGILÂNCIA SANITÁRIA INTERDITA ÓTICA QUE FUNCIONAVA IRREGULARMENTE EM BAIRRO DA CAPITAL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
20180821_095419

Fiscais flagraram estrutura de consultório dentro da ótica, o que é irregular. (Foto: SEFIS/SVS)

Fiscais flagraram estrutura de consultório dentro da ótica, o que é irregular. (Foto: SEFIS/SVS)

O Serviço de Fiscalização de Estabelecimentos de Interesse da Saúde (SEFIS) da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) interditou nesta terça-feira (21) uma ótica que funcionava irregularmente no bairro Coophavilla.

O chefe do SEFIS, Antonio Carlos Cardoso, explica que o estabelecimento não tinha responsável técnico, o que está em desconformidade com a Lei 1.293/92 do Código Sanitário Estadual e com a Resolução SESAU 065, ambas que versam sobre a necessidade da permanência do profissional credenciado e habilitado durante o horário de funcionamento do local.

Além disso, segundo o chefe do setor, o estabelecimento oferecia consultas oftalmológicas o que infringe o Decreto Federal nº 24.492/1934.

“A legislação diz que o estabelecimento comercial de venda de óculos não pode ter um consultório em suas dependências, tampouco o profissional que realize a consulta vender ou indicar quaisquer estabelecimentos que comercializem tais produtos. Portanto o estabelecimento estava incorrendo em irregularidade, o que motivou a interdição cautelar”, complementa.

Os responsáveis pela ótica têm um prazo de até 90 dias para sanar as irregularidades e durante este período devem responder Processo Administrativo Sanitário.

Conforme Antonio Carlos este é o segundo estabelecimento do gênero a ser autuado somente este mês. Segundo ele, a partir desta semana o trabalho de fiscalização destes estabelecimentos será intensificado com apoio do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor Municipal (PROCON-CG).