Campo Grande, MS
segunda-feira, 29 de novembro, 2021

Educação

Mídia CG > Educação > ESCOLA AGRÍCOLA INAUGURA OBSERVATÓRIO DE AVES E CONTRIBUI COM TURISMO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

ESCOLA AGRÍCOLA INAUGURA OBSERVATÓRIO DE AVES E CONTRIBUI COM TURISMO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
ArvoresPrefeito (1)

Tucanos, beija-flores, araras e verão. Quem tem como hobby a observação de aves, já está familiarizado com estas espécies e sabe em que áreas da cidade é mais fácil encontra-las.

No entanto, os amantes dessa atividade ganharam, nesta quarta-feira (22), mais um ponto de contemplação destas e de pelos menos mais 70 espécies de aves que habitam a região onde está localizada a Escola Agrícola “Governador Arnaldo Estevão de Figueiredo”.

ArvoresPrefeito (3)Este novo hotspots, que significa local onde a observação das aves é certa, foi aberto na trilha ecológica da própria unidade escolar. A inauguração do ponto integrou a programação do 1º Seminário Municipal de Agricultura Familiar, que acontece na escola agrícola até esta quinta-feira (23). A abertura oficial da trilha contou com a presença do prefeito Marquinhos Trad.

O primeiro ponto de observação de aves do estado localizado dentro de uma escola, já traz, logo no início da trilha, uma inovação tecnológica: uma placa que contém um QR Code, que é um código bidimensional que pode ser escaneado usando telefones celulares equipados com câmera. Esse código é convertido em texto interativo e dispõe de uma alta capacidade para armazenar dados.

Para descobrir as informações do QR Code da placa, basta baixar no celular um programa que faz a leitura do código. Ao direcionar a câmera para o código, surge na tela do telefone o link do livro das biólogas Simone Mamede e Maristela Benitez, que contribuíram com a catalogação das espécies e na elaboração da placa. Placas com QR Code também foram colocados em árvores da trilha ecológica, com informações sobre as espécies.

A obra contêm informações sobre as principais espécies que podem ser observadas na reserva, além de um guia com informações ecológicas de todo o bioma do Cerrado e as demais espécies de aves da região. As biólogas cederam os direitos autorais para a escola criar o QR Code que dá acesso ao livro, hospedado na plataforma bioface.   ArvoresPrefeito (2)

Segundo a bióloga Simone Mamede, Campo Grande é a capital da observação de aves, já que tem um paisagismo funcional, Cerrado conservado e reservas, como a da escola, que asseguram a presença de aves, além da segurança em realizar a atividade nos 30 locais existentes na cidade. “Ainda não catalogamos todas as espécies. Faltam as migratórias, que chegam no período das chuvas. Acredito que iremos registrar pelo menos 200 espécies na reserva da escola”, frisou.

Empolgadas

A professora e também bióloga, Rosiane de Morais, conta que o trabalho de levantamento das espécies começou em abril. Em junho, na Semana do Meio Ambiente, os alunos começaram a realizar várias observações monitoradas e contribuíram para o levantamento.

“Nosso objetivo é sensibilizar o aluno para que ele compre a ideia e tenha um sentimento de pertencimento daquele local. Iniciamos o trabalho fazendo um resgate histórico da reserva e para os alunos. A trilha é mais um elemento para atividade ambiental e proporciona uma aproximação com a natureza”, ressaltou Rosiane.

Alunas do 8º ano, Sara Vitoriana Lemes e Eduarda Pereira de Assis estão empolgadas como fato de a escola se transformar em um ponto de turismo ambiental, favorecido pela observação das aves. “Várias pessoas podem vir aqui na escola e conhecer nosso trabalho de preservação”, diz Sara, que pretende ser veterinária e já vê na Trilha Ecológica, um laboratório a céu aberto. “Para muita gente a observação não passa de lazer, mas é muito mais do que isso. As aves são dispersoras de sementes e contribuem com a renovação do meio ambiente. É importante saber isso para ter uma consciência ecológica”, completou.

Para a diretora da unidade, Maria Kátia Miranda da Silva, o trabalho desenvolvido pelas biólogas veio coroar conteúdo repassado em sala de aula. “Estamos sempre em busca de novas tecnologias e inovações para incrementar o currículo e esse observatório vai dar uma outra dimensão às aulas de conscientização ambiental”, finaliza.